Pular para o conteúdo principal

Afinal Dízimo é 10% ou não? - Igreja Católica

Recebi um e-mail com um questionamento: Qual é o valor que devemos contribuir para o DIZIMO? Algumas igrejas protestantes dizem que o Cristão deve contribuir mensalmente com 10% do salário. Mas os padres da igreja católica disseram que podemos contribuir pelo menos com 5%, será que os padres estão certos ou os pastores da igreja protestante que exigem os 10%?

Não desejo entrar no mérito da questão de quem está certo ou errado, até porque respeito muito os irmãos protestantes (sérios) que vivem a Palavra de Deus, mas para dar argumentos permitindo que cada um tome sua decisão ressalto o seguinte: 

Nossos irmãos protestantes tem razão com relação aos 10% pois está no Antigo Testamento, acontece que a partir da vinda de Jesus deu-se a Nova e Eterna Aliança, a Igreja Católica tem o Antigo Testamento como Palavra de Deus - como a história da formação do povo de Deus - aqueles que ainda esperam a vinda do Messias continuam presos a Lei do Antigo Testamento, mas nós católicos acreditamos que Jesus Cristo é o Messias, o Filho de Deus enviado para a nossa salvação que veio trazer a Nova e Eterna Aliança.

Sendo assim a Igreja Católica espelha-se nos ensinamentos de Cristo: (Mt 9,13)

Ide, pois, aprender o que significa: ‘Misericórdia eu quero, não sacrifícios”.  ´

É certo que temos a obrigação de ajudar na manutenção do Reino de Deus, não que o próprio Deus necessite de dinheiro, mas a Igreja sim, para suas obras de caridade, para as despesas do templo (água, luz, impostos, salários...), e nós somos a Igreja, temos sim que fazer a nossa parte para manter viva a Igreja como instituição.

O Código de Direito Canônico no Cânon-222 rege que: Os fiéis têm obrigação de socorrer às necessidades da Igreja, a fim de que ela possa dispor do que é necessário para o culto divino, para as obras de apostolado e de caridade e para o honesto sustento dos ministros”.

Acontece que como diz o próprio Jesus, não podemos oprimir e impor passados fardos, devemos sim usar de misericórdia; tirar o leite da boca de uma criança, sob o pretexto de alimentar a Deus, isso não é misericórdia, portanto a nossa Igreja Católica ciente das dificuldades que enfrentamos diz no catecismo:

(CIC-2043) O quinto mandamento ("Ajudar a Igreja em suas necessidades") recorda aos fiéis que devem ir ao encontro das necessidades materiais da Igreja, cada um conforme as próprias possibilidades.

A decisão da Igreja Católica em não impor os 10%, mas sim, deixar livre para que cada um dê de acordo com as suas possibilidades, visando que o Dízimo não venha a se tornar um fardo e sim um prazer, tem respaldo na própria Palavra de Deus:

São Paulo da Carta aos Hebreus cita: "Mudou o sacerdócio, então necessariamente muda também a lei!" (7,12) "Este fato significa abolir o preceito anterior, por ser fraco e inútil” (Hb 7,18). São Paulo continua falando a respeito do Dízimo desta vez aos Coríntios (2Cor 9,7): “Dê cada um conforme o impulso do seu coração, sem tristeza nem constrangimento. Deus ama a quem dá com alegria”.

Diante do exposto, tenho a firme convicção de que as pessoas que por motivos justos não podem contribuir com 10%, mas que dão de acordo com as suas possibilidades, não estão em pecado e não serão tratadas por Deus com menos amor.

Como diz Teresa de Calcutá: O importante não é o que se dá, mas o amor com que se dá.

Texto: Ricardo e Marta
Fonte: Catecismo da Igreja Católica - Código de Direito Canônico - Bíblia CNBB
Foto retirada da internet caso seja o autor, por favor, entre em contato para citarmos o credito.

DEIXE SEU PEDIDO DE ORAÇÃO

Fique com Deus e sob a proteção da Sagrada Família
Ricardo Feitosa e Marta Lúcia
Crendo e ensinando o que crê e ensina a Santa Igreja Católica

Se desejar receber nossas atualizações de uma forma rápida e segura, por favor, faça sua assinatura, é grátis. Acesse nossa pagina: http://ocristaocatolico.blogspot.com.br/ e cadastre seu e-mail para recebimento automático, obrigado.

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...