Pular para o conteúdo principal

Uma comunidade de escuta - 3º Domingo Comum “C” Lucas

O cristianismo é revelação; Deus se revela e se comunica ao homem histórico. Essa revelação-comunhão se toma presente na historia através do sinal da Palavra (palavra e gesto) cujo cerne é Jesus de Nazaré, a Palavra de Deus viva encamada. Não é tanto o esforço que o homem faz para atingir e conhecer a Deus, quanto o ato de Deus que se dá e se une ao homem.

Deus se revela e se comunica ao homem

O Deus de Abraão, de Isaac, de Jesus Cristo não é um Deus imposto, não é um Deus que se revela nos fenômenos naturais, mas na história dos homens, revela-se e se comunica de modo perfeito e definitivo no homem Jesus.

A Bíblia é a literatura de um povo; nela estão reunidas as vicissitudes, os sofrimentos, as angústias, as alegrias e as esperanças da história de um povo; as reflexões dos sábios, os líricos, os hinos dos poetas, as canções populares até a vida das primitivas comunidades cristãs. Tudo isto é certamente "revelação do homem", mas ao mesmo tempo "revelação de Deus". A história passada é lida como palavra de Deus para que, à sua luz, possamos ler a nossa história, a nossa vida, e descobrir e encontrar Deus nas vicissitudes do nosso cotidiano.

Palavra de Deus e comunidade

A palavra de Deus, porém, longe de alienar o homem, procura promover uma fidelidade radical à condição humana.

A 1ª leitura nos manifesta a relação entre a palavra de Deus, tal como está contida na Bíblia, e a comunidade. O gesto de Neemias nos diz que o povo de Deus, para se reconstruir depois da ruína do exílio, procura a sua mais profunda identidade e unidade na palavra de Deus.

Hoje também (e sempre) a Igreja encontra sua identidade na palavra de Cristo. Sem a palavra de Cristo ela é "nada". A Igreja está sempre em religiosa escuta da palavra de Deus; nela é congregada e dela depende totalmente; por ela deve continuamente deixar-se “julgar” e contestar.

Por outro lado, só na Igreja a palavra de Deus ressoa em toda a sua verdade; e sua razão de ser está em anunciar essa palavra e testemunhá-la como fiel discípula de Cristo, plenitude de toda a revelação. Portanto, a Igreja não proclama uma abstrata ideologia humana, mas a Palavra que se fez carne em Cristo, Filho de Deus, Senhor e Redentor de todos os homens.

O Cristo, cabeça da Igreja (2ª leitura) é o Cristo Senhor, o Cristo-Palavra (evangelho). É ele que unifica a multiplicidade e diversidade dos membros em um só corpo; é ele que, unindo com a sua palavra viva as mentes e corações, cria a unidade da fé.

A leitura evangélica nos revela a atualidade da palavra de Deus e o modo cristão de lê-la. "Hoje se cumpriu esta escritura que acabais de ouvir" (Lc 4,21).

A palavra de Deus se realiza hoje

Cada página do evangelho não é palavra morta, mas palavra viva, que Deus diz a nós e deve realizar-se hoje. O evangelho não narra apenas a vida de Jesus, mas também a minha vida. O evangelho nos contém, nos envolve. Por isto, a liturgia da Palavra não é uma simples lição moral, nem a afirmação da esperança escatológica recebida dos profetas; mas proclama o cumprimento do desígnio do Pai no hoje da vida e da assembleia. Não se contempla aí um passado desaparecido, nem se imagina um futuro extraordinário, mas se vive o tempo presente como lugar privilegiado da vinda do Senhor. Portanto, não se procura aplicar aos fatos vividos pelos membros da assembleia um ou outro texto inspirado, mas indicar que o acontecimento vivido hoje pelos homens e pelos cristãos revela o desígnio de Deus que se realiza no Cristo.

Antigo e Novo Testamento se tornam atuais, próximos, se não ficarmos presos à letra morta. Mais cedo ou mais tarde descobriremos que podemos dizer a cada página: "Aqui se fala de nós. Eu sou Adão. Nós somos os apóstolos no mar. Encontramo-nos precisamente como Jesus no caminho do Calvário e da ressurreição. Assim, através da palavra de Deus, vamos lentamente descobrindo como é nossa vida aos olhos dele, isto é, na sua dimensão profunda...". A palavra que vem de Deus possui a força e a eficácia de Deus. Interpela, provoca, consola, cria comunhão e salva, das mais diversas maneiras, conforme os momentos e as formas; todo ato de pregação é glorificação de Deus e acontecimento sociológico para os homens. Hoje também a Palavra quer tornar-se carne para nossa vida.

·       Primeira Leitura: Ne 8,2-4a.5-6.8-10
·       Salmo: 18(19),8.9.10.15 (R. Jo 6,63c)
·       Segunda Leitura: 1Cor 12,12-30
·       Evangelho: Lc 1,1-4;4,14-21

Fonte: Missal Dominical (Paulus)
Foto retirada da internet caso seja o autor, por favor, entre em contato para citarmos o credito.

DEIXE SEU PEDIDO DE ORAÇÃO

Fique com Deus e sob a proteção da Sagrada Família
Ricardo Feitosa e Marta Lúcia
Crendo e ensinando o que crê e ensina a Santa Igreja Católica

Se desejar receber nossas atualizações de uma forma rápida e segura, por favor, faça sua assinatura, é grátis. Acesse nossa pagina: http://ocristaocatolico.blogspot.com.br/ e cadastre seu e-mail para recebimento automático, obrigado.

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...