Pular para o conteúdo principal

Cristão é aquele que escolheu Cristo e o Segue - 13º Domingo Comum “C” Lucas

Cristão é aquele que escolheu Cristo e o Segue

Em todas as religiões, os grandes mestres espirituais tiveram discípulo, assíduos a seu ensinamento e preocupados em conservar suas palavras. Na Bíblia também encontramos este fenômeno (1ª leitura), embora se configure de modo muito particular, pois o povo vive num regime de aliança e de fé. A aliança não se baseia em tradições de mestre a discípulo, mas em si mesma. Certamente o povo eleito tem necessidade de guias que o orientem na leitura de fé dos acontecimentos. Mas essa necessidade é provisória e os profetas muitas vezes predizem um futuro em que Deus mesmo ensinará aos corações, sem a mediação de mestres terrenos (Jr 31,31-34), e todos serão discípulos de Deus (Is 54,13).


Chamados a partilhar do destino de Jesus

Durante seu ministério, Jesus se apresenta como rabi, mestre, e reúne discípulos em torno de si.

Para poder colaborar na missão divina do Messias, aquele que é chamado deve estar pronto a partilhar a vida e o destino de Jesus, reconhecendo-o e aceitando-o como uma forma pessoal de vida. Não se trata, pois, tanto de aderir a uma doutrina, mas de segui-lo, ligar-se a sua pessoa para sempre. A vida em comum com o "Mestre" transforma o "discípulo" em auxiliar de Jesus, prepara-o para sua tarefa e o põe em condições de difundir, com poderes divinos, o apelo de Deus a Israel... Os Doze, enquanto representantes da estirpe de Israel, desempenham outra função: são expressão viva do apelo messiânico dirigido por Jesus a todo Israel. O ato de seguir representa para eles, de certo modo, uma profissão. Para isso devem abandonar aquela que exerciam anteriormente.
 
Deixar tudo para segui-lo

Os sinóticos, narrando os encontros históricos de Jesus com os que ele convida a segui-lo, fazem um apelo vivo aos cristãos.

Lucas, por exemplo (evangelho), deixa anônimos os interpelados e não transcreve sua resposta; a intenção do evangelista e da tradição é que cada homem se sinta chamado, dê resposta, tome decisão.

Assim, por um lado, Lucas, ligando o chamado dos discípulos ao Antigo Testamento, com referências literárias muito claras, diz que Jesus "cumpre" as Escrituras (é o Messias); por outro lado, com as sagazes observações acima indicadas, apresenta os encontros históricos com Jesus como "profecias" que esperam ser cumpridas nos cristãos.

Esses é que são os discípulos do Cristo Ressuscitado e o encontram na palavra, nos sacramentos, no próximo.

Todo cristão deve seguir Jesus no desprendimento dos bens materiais, para ser livre e disponível, no desprezo de tudo o que é mal, e, enfim, na recusa a todo apego ao passado (Fl 3,12-14).

Crer nele e a ele aderir

Para João, o que define o discípulo de Jesus é explicitamente a fé (Jo 1,41; 2,1-11; 6,6-7). Sem a fé, até a convivência terrena com Jesus terá fim rapidamente. Um caminhar com Jesus baseado unicamente em motivos humanos, leva fatalmente à catástrofe da defecção (Jo 6,66). Esta fé tem seu teste no amor fraterno, característica distintiva dos discípulos e verdadeiro sinal "revelador" para o mundo (Jo 13,l4ss). Mas o elemento específico da relação do discípulo com Cristo, que a torna diferente de qualquer outra relação entre mestre e discípulo, é uma adesão absoluta, incondicional e definitiva à pessoa do Cristo. Nenhum valor, lei ou relação humana, por mais estreita que seja, pode ser anteposta a ele. Ele se coloca como significado total da vida. Não é tanto a aceitação de uma doutrina abstrata que pede, mas a opção por sua pessoa. Podem-se colecionar e valorizar as ideias dos grandes pensadores, sem absoluta­mente interessar-se pela pessoa do autor...

"Cristão é aquele que escolheu Cristo e o segue. Nesta decisão fundamental por Jesus Cristo está contida e compreendida qualquer outra exigência de conhecimento e de ação pela fé". (RdC 57)

A adesão incondicional à pessoa de Jesus, a obediência absoluta a ele é ato libertador. Quem segue o Cristo é verdadeiramente homem livre, sem patrões. Um homem livre da escravidão das coisas, do poder, do dinheiro, do sexo, livre sobretudo de si mesmo.

·       Primeira Leitura: Primeiro Livro dos Reis 19,16b.19-21
·       Salmo: 15,1-2a.5. 7-8.9-10.11(R. 5a)
·       Segunda Leitura: Carta de São Paulo aos Gálatas 5,1.13-18
·       Evangelho: Lucas 9,51-62

Fonte: Missal Dominical (Paulus)
Foto retirada da internet caso seja o autor, por favor, entre em contato para citarmos o credito.

DEIXE SEU PEDIDO DE ORAÇÃO

Fique com Deus e sob a proteção da Sagrada Família
Ricardo Feitosa e Marta Lúcia
Crendo e ensinando o que crê e ensina a Santa Igreja Católica

Se desejar receber nossas atualizações de uma forma rápida e segura, por favor, faça sua assinatura, é grátis. Acesse nossa pagina: http://ocristaocatolico.blogspot.com.br/ e cadastre seu e-mail para recebimento automático, obrigado.

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...