Pular para o conteúdo principal

Dedicação da Basílica do Latrão - Festa - 09 de novembro

Ó Deus, que edificais o vosso templo eterno com pedras vivas e escolhidas, difundi na vossa Igreja o Espírito que lhe destes, para que vosso povo cresça sempre mais, construindo a Jerusalém celeste Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém!


A Basílica de São João de Latrão, localizada na Praça Giovanni Paolo II em Roma, é a Catedral do Bispo de Roma. Seu nome oficial é Archibasilica Sanctissimi Salvatoris - Arquibasílica do Santíssimo Salvador. Como catedral da Diocese de Roma, contém o trono papal - Cathedra Romana -, o que a coloca acima de todas as igrejas do mundo, inclusive da Basílica de São Pedro. Tem o título honorífico de Omnium Urbis et Orbis Ecclesiarum Mater et Caput - Mãe e Cabeça de todas as Igrejas de Roma e do Mundo. A Dedicação da Basílica de São João de Latrão, festa comemorada em 9 de novembro como forma de celebrar a unidade e o respeito para com a Sé Romana.

Latrão designa um local, situado no centro da cidade de Roma e todo um magistral complexo arquitetônico: como o Palácio Laterano, o Obelisco Laterano, o Batisterium e a Basílica de São João de Latrão. A Santa Sé tem soberania sobre o local, apesar de situado fora dos muros do Estado da Cidade do Vaticano, em decorrência do Tratado e da Concordata de Latrão (ou Lateranense) de 11 de Fevereiro de 1929, assinado com a República Italiana, com o aditamento de 18 de Fevereiro de 1984.

Durante o Império Romano, no local havia uma propriedade da família Laterani, que ali construiu um palácio, derivando daí o nome atual. Os Laterani serviram como administradores para diversos imperadores; Sextius Lateranus foi o primeiro plebeu a ser designado Cônsul. Um dos Laterani, também designado Cônsul, Plautius Lateranus, ficou famoso por ter sido acusado por Nero de conspiração contra o imperador, acusação que resultou em confisco e distribuição de suas propriedades por volta do ano 60. No ano de 161, Marco Aurélio construiu ali um palácio. Em 226, Septimus Severus devolveu uma parte das propriedades dos Laterani. Não se sabe se incluiu o palácio. Sabe-se que o Palácio Laterano encontrava-se em posse do imperador Constantino, O Grande enquanto casado com sua segunda esposa, Fausta, irmã de Maxentius. Ficou conhecido na época como "Casa de Fausta," e, posteriormente foi doado por Constantino ao Bispo de Roma.

O Palácio do Latrão, propriedade da família imperial, tornou-se no século IV, habitação particular do Papa. A basílica adjacente, dedicada ao divino Salvador, foi a primeira catedral do mundo: aí se celebravam, especialmente, os batismos na noite de Páscoa. Mais tarde, dedicada também aos dois santos João, Batista e Evangelista, foi por muito tempo considerada a Igreja-mãe de Roma, e nela se realizaram as sessões de cinco grandes Concílios Ecumênicos.

Unindo-se hoje à Igreja de Roma, as Igrejas de todo o mundo lhe reconhecem a “presidência da caridade”, de que já falava Santo Inácio de Antioquia. Analogamente sucede na festa da Consagração da Igreja Catedral de cada Diocese, à qual estão ‘ligadas’ todas as Paróquias e Comunidades que dela dependem. Todo edifício-igreja é consagrado a Deus e pretende exaltá-lo por um “mistério da salvação” ou pelas maravilhas operadas nos anjos, em Maria nos Santos.

A sigla D.O.M. (Deo Optimo Maximo = a Deus Boníssimo e Excelso) domina o frontão dos edifícios sagrados. Esta é uma festa do “Senhor”! O Verbo, fazendo-se carne armou a sua tenda ente nós (Jo 1,14). Cristo ressuscitado está presente em uma Igreja: é dela a Cabeça. As Igrejas de pedra ou de tijolos são um sinal dessa presença de Cristo; é ele que aí fala, dá-se em alimento, preside a comunidade reunida em oração, permanece conosco para sempre (SC7).

O cenáculo, a igreja doméstica, as basílicas paleocristãs, as catedrais medievais, os edifícios sacros da renascença ou do barroco, as arquiteturas religiosas modernas são sempre “qualificadas segundo a dimensão do homem”: em todos os tempos a comunidade projetou na estrutura de seus edifícios a imagem que tem de si mesma. Às vezes a imagem resulta bastante velada. Contudo, jamais faltaram as pedras vivas para a construção do templo espiritual do qual o Ressuscitado é a pedra angular (1Pd 2,49).

As imagens de Maria e dos Santos, suas relíquias, com as quais costumamos cercar nossas “eucaristias”, tem a função de lembrar-nos que a condição privilegiada para toda oração é a comunidade.

Fonte: Wikipédia - daaz.com.br - Missal Cotidiano
Foto retirada da internet caso seja o autor, por favor, entre em contato para citarmos o credito.

DEIXE SEU PEDIDO DE ORAÇÃO

Fique com Deus e sob a proteção da Sagrada Família
Ricardo Feitosa e Marta Lúcia
Crendo e ensinando o que crê e ensina a Santa Igreja Católica

Se desejar receber nossas atualizações de uma forma rápida e segura, por favor, faça sua assinatura, é grátis. Acesse nossa pagina: https://ocristaocatolico.blogspot.com.br/ e cadastre seu e-mail para recebimento automático, obrigado.

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...