Pular para o conteúdo principal

Liturgia Diária Comentada 17/09/2016 sábado

24ª Semana do Tempo Comum - 4ª Semana do Saltério
Prefácio próprio - Ofício do dia
Cor: Verde - Ano “C” Lucas


Antífona: Eclesiástico 36,18 Ouvi, Senhor, as preces de vosso servo e do vosso povo eleito: dai a paz àqueles que esperam em vós, para que vossos profetas sejam verdadeiros.

Oração do Dia: Ó Deus, criador de todas as coisas, volvei para nós o vosso olhar e, para sentirmos em nós a ação do vosso amor, fazei que vos sirvamos de todo o coração. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém! 

Primeira Leitura: Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios 15,35-37.42-49

Irmãos, alguém perguntará? Como ressuscitam os mortos? Insensato! O que semeias não nasce sem antes morrer. E, quando semeias, não semeias o corpo da planta, que há de nascer, mas o simples grão, como o de trigo, ou de alguma outra planta. Pois assim será também a ressurreição dos mortos. Semeia-se em corrupção e ressuscita-se em incorrupção. Semeia-se em ignomínia, e ressuscita-se em glória. Semeia-se em fraqueza, e ressuscita-se em vigor.

Semeia-se um corpo animal, e ressuscita-se um corpo espiritual. Se há um corpo animal, há também um espiritual. Por isso está escrito: o primeiro homem, Adão, “foi um ser vivo”. O segundo Adão é um espírito vivificante. Veio primeiro não o homem espiritual, mas o homem natural; depois é que veio o homem espiritual. O primeiro homem, tirado da terra, é terrestre; o segundo homem vem do céu. Como foi o homem terrestre, assim também são as pessoas terrestres; e como é o homem celeste, assim também vão ser as pessoas celestes. E como já refletimos a imagem do homem terrestre, assim também refletiremos a imagem do homem celeste. - Palavra do Senhor.

Comentário: O pequenino grão, para dar origem à planta, deve cair na terra e morrer, dissera-o Jesus (Jo 12,24). Mas a imagem não é completa. Ressurgiremos ao mesmo tempo idênticos e diferentes. A vitória de Cristo sobre a morte desdramatiza a morte, porque revela a graça que opera no homem e dá ao homem seu pleno desenvolvimento na ressurreição. A fé nos diz o que não podemos compreender: impele-nos a viver a vida em profundidade e plenitude. Nada que tenha valor será perdido, porém o homem deve aceita até a hora da morte a corrupção, o fim terrestre. Isto é doloroso, mas já preludia o eterno nascimento dos eleitos no reino de Deus. Nesse sofrimento, todo homem está só; nessa profundeza se coloca o encontro com Cristo ressuscitado. Então, o sofrimento e a morte se transformam em festa, festa de quem morre, para que Cristo seja o verdadeiro amor, a nova vida. (Missal Cotidiano)

Salmo: 55 (56),10. 11-12. 13-14 (R. Cf. 14c)
Na presença do Senhor, andarei na luz da vida

Meus inimigos haverão de recuar em qualquer dia em que eu vos invocar; tenho certeza: o Senhor está comigo.

Confio em Deus e louvarei sua promessa; é no Senhor que eu confio e nada temo: que poderia contra mim um ser mortal?

Devo cumprir, ó Deus, os votos que vos fiz, e vos oferto um sacrifício de louvor, porque da morte arrancastes minha vida e não deixastes os meus pés escorregarem, para que eu ande na presença do Senhor, na presença do Senhor na luz da vida.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 8,4-15

Naquele tempo, reuniu-se uma grande multidão, e de todas as cidades iam ter com Jesus. Então ele contou esta parábola: “O semeador saiu para semear a sua semente. Enquanto semeava, uma parte caiu à beira do caminho; foi pisada e os pássaros do céu a comeram. Outra parte caiu sobre pedras; brotou e secou, porque não havia umidade. Outra parte caiu no meio de espinhos; os espinhos cresceram juntos, e a sufocaram. Outra parte caiu em terra boa; brotou e deu fruto, cem por um”. Dizendo isso, Jesus exclamou:

“Quem tem ouvidos para ouvir ouça”.

Os discípulos lhe perguntaram o significado dessa parábola. Jesus respondeu: “A vós foi dado conhecer os mistérios do Reino de Deus. Mas aos outros, só por meio de parábolas, para que olhando não vejam, e ouvindo não compreendam. A parábola quer dizer o seguinte: A semente é a Palavra de Deus. Os que estão à beira do caminho são aqueles que ouviram, mas, depois, vem o diabo e tira a Palavra do coração deles, para que não acreditem e não se salvem. Os que estão sobre a pedra são aqueles que, ouvindo, acolhem a Palavra com alegria. Mas eles não têm raiz: por um momento acreditam; mas na hora da tentação voltam atrás. Aquilo que caiu entre os espinhos são os que ouvem, mas, com o passar do tempo são sufocados pelas preocupações, pela riqueza e pelos prazeres da vida, e não chegam a amadurecer. E o que caiu em terra boa são aqueles que, ouvindo com um coração bom e generoso, conservam a Palavra, e dão fruto com sua perseverança”. - Palavra da Salvação.

Comentários:

Muitas vezes, quando estamos exercendo o trabalho evangelizador, ficamos angustiados porque não vemos os resultados que estávamos esperando, e isso acaba por se tornar para nós causa de desânimo. O Evangelho de hoje nos mostra que o mais importante é evangelizar, e que sempre devemos lançar as sementes da Palavra. O semeador do Evangelho de hoje não estava preocupado se as sementes estavam caindo em terreno bom. Nós também não devemos lançar as sementes apenas para os que podem responder de forma positiva. A evangelização é para todos e os resultados não dependem de nós, mas da Graça divina. (CNBB)

Perseverança é uma palavra-chave na vida dos discípulos do Reino. Sem esta virtude, a vida cristã tende a ser estéril e, por conseguinte, indigna de quem aderiu a Jesus. A vida cristã vai se construindo como um contínuo combate contra as forças do anti-Reino, sempre prontas a desarticular o projeto de Deus no coração de quem se dispõe a acolhê-lo. A Palavra semeada é imediatamente arrebatada, quando a pessoa não tem suficiente motivação para ser discípula de Jesus. Representa aqueles aos quais falta disposição para levarem a sério o projeto do Mestre. Outros chegam até a acolher a Palavra com alegria. Quando, porém, chega o momento da provação e o discipulado se torna uma cruz pesada, são levados a abandonar o caminho iniciado, dando as costas para Jesus. Há os que se mostram generosos na escuta a Palavra, mas são incapazes de seguir adiante, quando se defrontam com as preocupações, as riquezas e os prazeres da vida. Estas mundanidades tornam-se tão atrativas, a ponto de fazê-los esquecer de Jesus e do compromisso assumido com ele. Só produz os frutos desejados quem se predispõe a abrir caminho em meio às contrariedades, sem jamais abrir mão de sua adesão a Jesus. Pelo contrário, as dificuldades levam-no a aprofundar os vínculos que o unem ao Mestre, de modo a não se desviar, um só milímetro, de sua fé. Nem mesmo a perspectiva de perseguição e morte fá-lo-á ser menos fiel. É a perseverança para além dos desafios do compromisso com o Reino! (Padre Jaldemir Vitório/Jesuíta)

Fonte: CNBB - Missal Cotidiano (Paulus)
Foto retirada da internet caso seja o autor, por favor, entre em contato para citarmos o credito.

DEIXE SEU PEDIDO DE ORAÇÃO

Fique com Deus e sob a proteção da Sagrada Família
Ricardo Feitosa e Marta Lúcia
Crendo e ensinando o que crê e ensina a Santa Igreja Católica


Se desejar receber nossas atualizações de uma forma rápida e segura, por favor, faça sua assinatura, é grátis. Acesse nossa pagina: http://ocristaocatolico.blogspot.com.br/ e cadastre seu e-mail para recebimento automático, obrigado.

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...