Pular para o conteúdo principal

Lectio Divina ou Leitura Orante da Bíblia

Lectio Divina ou Leitura Orante da Bíblia

Recebi um e-mail onde a pergunta era: A Lectio Divina foi criada pelo Concilio Ecumênico Vaticano II? A resposta é “não”. Graças ao Vaticano II não só o termo, mas a pratica popularizou-se e hoje é um instrumento necessário de comunhão com Deus na vida de nós católicos.

Os princípios da Lectio Divina datam do ano 220 da era cristã (LEITURA - MEDITAÇÃO - ORAÇÃO - CONTEMPLAÇÃO). O grande teólogo, filosofo e escritor cristão Orígenes de Alexandria, que viveu no século III dizia que é preciso atenção, constância e oração para compreender a Sagrada Escritura, e ia mais longe quando afirmava que a oração nasce da leitura assídua e diligente das Escrituras, ou seja, não tem como ter vida de oração sem a comunhão com a Palavra, e é do entendimento da Palavra que a nossa vida se transforma em oração. 

“Eu gostaria, em especial recordar e recomendar a antiga tradição da Lectio Divina, a leitura assídua da Sagrada Escritura, acompanhada da oração que traz um diálogo íntimo em que a leitura, se escuta Deus que fala e, rezando, responde-lhe com confiança a abertura do coração”. (Bento XVI)

A Lectio Divina é o encontro com a Palavra de Deus através da oração, é debruçar-se em seus ensinamentos e descobrir qual a nossa missão, é mergulhar através da meditação no mistério insondável de Deus e esperar a sua revelação. A Leitura Orante da Bíblia em resumo é um deixar-se envolver pelo amor que santifica. Assim como o corpo precisa do alimento para tornar-se forte e desenvolver as atividades do dia, a alma necessita ainda mais do alimento espiritual para manter-se firme na fé, base da nossa caminhada rumo à salvação.

Nada nos impede de fazermos a Lectio Divina em grupo, quando de um momento de evangelização, contudo, não devemos deixar de fazê-la individualmente como parte da nossa oração pessoal. 

A Constituição Dogmática Dei Verbum (cap. VI n.25) ressalta a necessidade do contato diário com a palavra: “... todos os clérigos e sobretudo os sacerdotes de Cristo e outros que, como os diáconos e os catequistas, se consagram legitimamente ao ministério da palavra, mantenham um contato íntimo com as Escrituras, mediante a leitura assídua e o estudo aturado (contínuo), a fim de que nenhum deles se torne «pregador vão e superficial da palavra de Deus, por não a ouvir de dentro», ... Do mesmo modo, o sagrado Concílio exorta com ardor e insistência todos os fiéis, mormente (principalmente) os religiosos, a que aprendam «a sublime ciência de Jesus Cristo» (Fil. 3,8) com a leitura frequente das divinas Escrituras, porque «a ignorância das Escrituras é ignorância de Cristo».

Debrucem-se, pois, gostosamente sobre o texto sagrado, quer através da sagrada Liturgia, rica de palavras divinas, quer pela leitura espiritual, quer por outros meios que se vão espalhando tão louvavelmente por toda a parte, com a aprovação e estímulo dos pastores da Igreja. Lembrem-se, porém, que a leitura da Sagrada Escritura deve ser acompanhada de oração para que seja possível o diálogo entre Deus e o homem; porque «a Ele falamos, quando rezamos, a Ele ouvimos, quando lemos os divinos oráculos».

Quatro passos são necessários na Lectio Divina: Lectio (Leitura), Meditatio (Meditação), Oratio (Oração), Contemplatio (Contemplação). Lembre-se das palavras do profeta Isaias 50,4: “O Senhor Javé me deu a capacidade de falar como discípulo, para que eu saiba ajudar os desanimados com uma palavra de coragem. Toda manhã ele faz meus ouvidos ficar atentos para que eu possa ouvir como discípulo”.

Regra de ouro para uma boa Leitura Orante da Bíblia:

1.    Não tenha pressa, o tempo é de Deus.
2.    Reserve um local tranquilo e busque relaxar ao máximo.
3.    Aquiete o coração com louvor e oração.
4.    Iniciar sempre com a oração do Espírito Santo.
5.    Leia o texto quantas vezes forem necessárias, até conseguir interioriza-lo.
6. Uma dica para quem está iniciando é buscar um texto pequeno, de preferencia dos Evangelhos ou dos Salmos.
7. Tenha sempre um bloco de notas, registre as revelações que vierem ao coração para posterior meditação.

Bento XVI em sua Exortação Apostólica Verbum Domini (n.87) diz: “Nos documentos que prepararam e acompanharam o Sínodo, falou-se dos vários métodos para se abeirar (aproximar), com fruto e na fé, das Sagradas Escrituras. Todavia prestou-se maior atenção à Lectio Divina, que «é verdadeiramente capaz não só de desvendar ao fiel o tesouro da Palavra de Deus, mas também de criar o encontro com Cristo, Palavra Divina viva»”. Quero aqui lembrar, brevemente, os seus passos fundamentais:

1 - Começa com a LEITURA (lectio) do texto, que suscita a interrogação sobre um autêntico conhecimento do seu conteúdo: o que diz o texto bíblico em si? Sem este momento, corre-se o risco que o texto se torne somente um pretexto para nunca ultrapassar os nossos pensamentos.

Comentário “O Cristão Católico”:

1. Neste primeiro momento não devemos ter pressa, leia com calma e atenção.
2. Busque contextualizar a passagem bíblica (os personagens, o ambiente, os diálogos), procure tornar-se parte da história.
3. Sempre leia as notas de rodapé.

A Leitura Orante tem que nos impulsionar a sair do simples patamar de ler e começarmos a ouvir a Sagrada Escritura.

2 - Segue-se depois a MEDITAÇÃO (meditatio), durante a qual nos perguntamos: que nos diz o texto bíblico? Aqui cada um, pessoalmente mas também como realidade comunitária, deve deixar-se sensibilizar e pôr em questão, porque não se trata de considerar palavras pronunciadas no passado, mas no presente.

Comentário “O Cristão Católico”:

A meditação nos aponta a direção, faz-nos enxergar o desejo de Deus. Meditar é muito mais que uma mera parada em nossa vida agitada, meditar é sintonizar o emocional e o racional diante da vontade revelada.

3 - Sucessivamente chega-se ao momento da ORAÇÃO (oratio), que supõe a pergunta: que dizemos ao Senhor, em resposta à sua Palavra? A oração enquanto pedido, intercessão, ação de graças e louvor é o primeiro modo como a Palavra nos transforma.

Comentário “O Cristão Católico”:

Devemos lembrar que a oração é a nossa resposta, é a nossa adesão. Se após a meditação o sentimento que inunda o teu ser, é de culpa, então que a tua oração seja um pedido de perdão; se é de alegria, louve ao Senhor; se é gratidão, demonstre através do serviço. Em tudo devemos ter em mente que a contemplação só terá surdido efeito se nos impelir a uma ação, e a está ação damos o nome de oração.

A oração que nasce de uma verdade revelada através da meditação, não pode ser mesquinha ou de barganha, trata-se antes de um comprometimento sincero que brota do relacionamento fiel e desinteressado com aquele que nos amou primeiro. A oração é o tornar-nos um com Deus, não dá para orar de braços cruzados, temos que abri-los para o projeto do Criador.

4 - Finalmente, a Lectio Divina conclui-se com a CONTEMPLAÇÃO (contemplatio), durante a qual assumimos como dom de Deus o seu próprio olhar, ao julgar a realidade, e interrogamo-nos: qual é a conversão da mente, do coração e da vida que o Senhor nos pede? São Paulo, na Carta aos Romanos, afirma: «Não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, a fim de conhecerdes a vontade de Deus: o que é bom, o que Lhe é agradável e o que é perfeito» (Rm 12,2). De fato, a contemplação tende a criar em nós uma visão sapiencial da realidade segundo Deus e a formar em nós «o pensamento de Cristo» (1 Cor 2,16).

Comentário “O Cristão Católico”:

Contemplação é muito mais do que simplesmente olhar ou admirar, é na contemplação que Deus realiza seu processo de cura, e para que isso aconteça é necessário assumirmos a nossa pequenez, a nossa dependência. Contemplar é silenciar, é deixar-se embalar nos braços do Pai, é sentir-se amado, perdoado e acolhido.

Uma frase do Beato Tiago Alberione me faz lembrar para que fomos criados: O amor ao Evangelho é o sinal e a característica das pessoas escolhidas por Deus para grandes coisas”. Fomos escolhidos justamente para espalhar esse amor, mas para tanto é necessário estarmos impregnado da essência de Deus para podermos exalar o perfume que santifica.

Texto: Ricardo e Marta
Foto retirada da internet caso seja o autor, por favor, entre em contato para citarmos o credito.

DEIXE SEU PEDIDO DE ORAÇÃO

Fique com Deus e sob a proteção da Sagrada Família
Ricardo Feitosa e Marta Lúcia  
Crendo e ensinando o que crê e ensina a Santa Igreja Católica

Se desejar receber nossas atualizações de uma forma rápida e segura, por favor, faça sua assinatura, é grátis. Acesse nossa pagina: http://ocristaocatolico.blogspot.com.br/ e cadastre seu e-mail para recebimento automático, obrigado.

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...